Logo

GRANDES FOTÓGRAFOS DISCUTINDO A FOTOGRAFIA DOCUMENTAL!

Descubra inúmeras possibilidades na fotografia documental, aprenda técnicas e caminhos para tirar projetos do papel, e participe de discussões aprofundadas com nomes como Bob Wolfenson, Cristiano Mascaro, Maureen Bisilliat, Lalo de Almeida, Eder Chiodetto, entre outros talentosos profissionais!

Inscreva-se para assistir as palestras online de 11 a 16 de Setembro

Garanta sua vaga no evento presencial do Congresso Brasileiro de Fotografia, que acontecerá na FAPCOM dia 17 de Setembro - Vila Mariana, São Paulo.

VENHA VIVER A FOTOGRAFIA DOCUMENTAL
De 11 a 17 de Setembro

Cadastre-se no CONBRAF ONLINE GRATUITO para assistir as palestras
E não se preocupe, também não gostamos de Spam.
Você vai receber os emails das palestras de 11 a 16 de setembro.
E ainda tenha acesso imediato a uma palestra sobre iluminação para retratos!

QUERO ME INSCREVER GRATUITAMENTE

EVENTO PRESENCIAL DO
CONGRESSO BRASILEIRO DE FOTOGRAFIA

No dia 17 de Setembro acontecerá na FAPCOM - na Vila Mariana, São Paulo, o evento presencial do CONBRAF, com grandes estrelas da fotografia e muitas atividades. Das 8h às 17h30

BOB WOLFENSON, FABS GRASSI, ÉRICO HILLER, MOBGRAPHIA, ARFOC

ImagemApoio Cultural

Profissionais já confirmados

Fotógrafos, curador, produtor cultural, advogada, gráfica, e muito mais. Mais de 21 palestras para discutir em profundida a fotografia documental, ajudar você a tirar seus projetos do papel e aprender técnicas para sua fotografia acontecer.
João da Silva

Bob Wolfenson

No CONBRAF Presencial - 17 de Setembro em São Paulo

João da Silva

Eder Chiodetto

Um dos grandes curadores de fotografia do Brasil questiona a idéia de documento

João da Silva

Maureen Bisilliat

(foto: Juan Esteves) Da fotografia documental ao áudio-visual

João da Silva

Cristiano Mascaro

(foto: João Urban) Fotografia de arquitetura

João da Silva

Renato Soares

O trabalho fotográfico com povos indígenas

João da Silva

Lalo Almeida

O fotojornalismo nos principais jornais e revistas do mundo.

João da Silva

Érico Hiller

Participa da Mesa Redonda no CONBRAF Presencial - dia 17 de Setembro

João da Silva

Jonne Roriz

Qual é o processo criativo de um fotógrafo de esportes

João da Silva

Michel D'Oultremont

A fotografia da vida selvagem, de uma forma inusitada

João da Silva

Emídio Luisi

(foto: Juan Esteves) Como fotografar shows, teatro e dança

João da Silva

André
Liohn

Fala sobre fotografia de guerra, diretamente do Iraque.

João da Silva

Mariane Goldberg

Como aprovar projetos em leis de incentivo à cultura e editais de fotografia

João da Silva

Davilym
Dourado

O processo de criação de um livro fotográfico e a inscrição no edital Marc Ferrez

João da Silva

Valdemir
Cunha

A produção de livros e suas etapas de realização. Como distribuir e vender o livro pronto

João da Silva

Ana Lucia Mariz

Conheça todo o processo de impressão de fotografias fine-art para exposições

João da Silva

João Kulcsar

Descubra caminhos e conceitos para montar uma exposição fotográfica

João da Silva

Carolina Schefer

Aprenda sobre leis de direitos autorais e de imagem. Obrigações legais de todo fotógrafo

João da Silva

Mobgraphia

Participa da Mesa Redonda do CONBRAF Presencial - dia 17 de Setembro

João da Silva

Fabs Grassi

Ensaios de Nu Autoral
No CONBRAF Presencial - dia 17 de Setembro - FAPCOM

João da Silva

Deco Cury

Aprenda na prática como fazer ensaios documentais de retrato em locação

João da Silva

Fernando
Martinho

O planejamento na fotografia documental

João da Silva

Maurício
de Paiva

A fotoarqueologia e o fotodocumentarismo como dinâmicas do desvelar

João da Silva

Rafael Karelisky

Como levar a linguagem documental para a fotografia de casamento

José de Oliveira

Henrique Manreza

Caminhos para usar o drone para fotografia e vídeo documental

João da Silva

Marcos Alves

Participa da Mesa Redonda do CONBRAF Presencial - dia 17 de Setembro

João da Silva

Chris Dornellas

Técnicas fundamentais de fotografia para iniciantes

FAÇA SEUS PROJETOS ACONTECEREM

A fotografia documental em suas diferentes vertentes

QUERO ME INSCREVER NO CONBRAF ONLINE GRATUITAMENTE
João da Silva
BOB WOLFENSON
NO
CONBRAF PRESENCIAL
Desde que iniciou sua trajetória profissional, aos dezesseis anos, no estúdio da Editora Abril, o paulistano Bob Wolfenson já trabalhou com os principais gêneros fotográficos. E o fez com sucesso, tanto em seu estúdio como em viagens pelo Brasil e o mundo afora - tomando café da manhã no salão vazio do Hotel Glória em Caxambu ou pedindo room service do Copacabana Palace.

Uma das referências nacionais como retratista, fotógrafo de nus e de moda, Wolfenson transita entre a publicidade e a arte. Já trabalhou para as principais revistas de moda como Vogue, Elle, S/N, Playboy, Harper’s Bazaar, Marie Claire e Rolling Sones e publicou livros como Jardim da Luz (Editora DBA/Companhia das Letras, 1996), Moda no Brasil por Brasileiros (Cosacnaify, 2003), Antifachada - Encadernação Dourada (Cosacnaify, 2004), Cinépolis (Schoeler, 2009), Apreensões (Cosacnaify, 2010), Belvedere (Cosac Naify, 2013) e 24x36 (Schoeler Editions,2013). Seu mais novo trabalho, Nosoutros, foi apresentado na Galeria Millan no começo de 2017 e foi enviado para vários festivais no mundo afora. Wolfenson é também criador e editor da revista de arte e moda S/N. Muitas de suas obras fazem parte dos acervos do Museu de Arte de São Paulo (Coleção Pirelli-MASP), do Itaú Cultural, Museu de Arte Moderna de Sao Paulo, Museu de Arte Brasileira – FAAP, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), Zacheta National Gallery of Art (Varsóvia), entre outras coleções. Ademais, além de seus projetos autorais, em 2016, B.W se envolveu como co-curador da exposição de Otto Stupakoff ao lado de Sergio Burgi, no Instituto Morreira Salles no Rio de Janeiro.

ESTEJA AO LADO DE GRANDES NOMES DA FOTOGRAFIA, EM PALESTRAS INSPIRADORAS E OUTRAS ATIVIDADES (Foto Bob Wolfenson) - VAGAS LIMITADAS

ImagemApoio Cultural
Imagem

CRISTIANO MASCARO

Imagem

A FOTOGRAFIA, A ARQUITETURA E A CIDADE

O fotógrafo paulista Cristiano Mascaro tem na arquitetura das cidades um dos eixos fundamentais de sua obra. Isto também se explica por sua formação – na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), entre 1964 e 1968 -, mas tal processo vai se apurando ano após ano.

Da sua atuação como repórter fotográfico na revista Veja, nos anos 1960, Mascaro ainda guarda certa pulsão do fotojornalismo pelo inesperado, mas seu olhar tem mais a ver com o que se esboçava na sua primeira individual, certeiramente intitulada Paisagem Urbana, em 1974, na galeria paulistana Enfoco.

Dois anos depois, o fotógrafo realiza um ensaio especialmente para a Pinacoteca do Estado, abordando dois bairros contíguos ao museu: Bom Retiro e Luz. Depois, em 1981, Mascaro faz outra individual no espaço, Ninguém ensina o que não sabe. Entre os principais nomes que o influenciaram neste início de carreira, estão Henri Cartier-Bresson (1908-2004), André Kertész (1894-1985), Robert Frank (1924) e Sergio Larraín (1931-2012). São Paulo, cidade onde vive sempre foi central em sua obra. “Há uma diversidade, uma mobilidade, cenários variados. Você fica parado em uma esquina, e as coisas acontecem à sua revelia” dizia ele em 2008.

Mascaro é Mestre e Doutor pela USP, ganhador de uma Bolsa Vitae de Artes e de 3 Prêmios Abril de Fotojornalismo. Em 2006, participa como arquiteto homenageado da VI Bienal Internacional de Arquitetura e Design apresentando a exposição O Brasil em X, em Y, em Z e em 2007 recebe o Prêmio Especial Porto Seguro de Fotografia pelo conjunto de sua obra.

Atualmente, Cristiano Mascaro é fotógrafo independente e dedica-se a projetos pessoais.

Agnaldo Farias

LALO DE ALMEIDA

Imagem

O fotojornalismo e a fotografia documental

Estudou fotografia no Instituto Europeo di Design em Milão na Itália. Ingressou no fotojornalismo trabalhando em pequenas agências de Milão cobrindo a crônica policial da cidade. Ainda na Itália fotografou temas nacionais e internacionais como a guerra na Bósnia. De volta para o Brasil trabalhou no jornal Estado de S. Paulo, revista Veja e durante 23 anos trabalhou no jornal Folha de S. Paulo. Paralelamente ao trabalho na área jornalística sempre desenvolveu trabalhos de fotografia documental como projeto “O Homem e a Terra”, sobre as populações tradicionais brasileiras, que recebeu o Prêmio Máximo da I Bienal Internacional de Fotografia de Curitiba em 1996 e ganhou o Prêmio Fundação Conrado Wessel em 2007.

É o autor das fotografias do livro Nas Asas do Correio Aéreo lançado em 2002, trabalho que também foi finalista do Prêmio da Fundação Conrado Wessel .

Em 2012, ganhou o XII Prêmio Marc Ferrez da Fundação Nacional das Artes para realizar um projeto sobre os impactos sociais causados pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte no rio Xingu. Esse trabalho, que resultou em um projeto multimídia chamado “A Batalha de Belo Monte”, ganhou vários prêmios nacionais e internacionais, entre eles o da Fundação Conrado Wessel, Grande Prêmio José Alencar de Jornalismo, Grande Prêmio Folha de Jornalismo, Prêmio SIP (Sociedad Interamericana de Prensa) entre outros.

Em 2017, seu ensaio sobre as vítimas do virus Zika foi premiado no World Press Photo.

Atualmente, além de colaborar regularmente nas áreas de fotografia, vídeo e multimídia com o jornal Folha de S. Paulo, fotografa para o The New York Times, desenvolvendo trabalhos para o jornal norte-americano no Brasil.

MAURÍCIO DE PAIVA

Imagem

A Fotoarqueologia

Fotógrafo documental/jornalista independente, dedicado a contar histórias sobre a cultura brasileira com ênfase no convívio humano e na antropologia visual de rigor informativo - estético, aliado, em especial, a temáticas como o socioambientalismo, extrativismo e o esporte e a áreas da ciência como a bioantropologia, história, meio ambiente e arqueologia nos entornos comunitários de povos tradicionais da bacia amazônica, principalmente. Atua também em projeto sobre Direitos Humanos, memória e Ditadura - no Grupo de trabalho Perus (GTP).

Como freelancer, é colaborador regular na revista NATIONAL GEOGRAPHIC Brasil desde 2004, com cerca de 02 dezenas de fotorreportagens publicadas - a maioria sobre a região norte - , delas 04 prêmios Prêmio Abril de Jornalismo e o 5º Prêmio SEBRAE de Foto jornalismo 2013, com a matéria " Os bons frutos da economia verde").
Foi aluno de Antropologia Visual no LISA/USP e Arqueologia da Amazônia Brasileira no MAE/USP (Museu de Arqueologia e Etnologia da USP).
Fotografa, apura e pesquisa na bacia amazônica há mais de 10 anos. Seus ensaios e reportagens autorais são vividos em longas permanências em campo, autênticos em legitimar os modos de vida de caboclos, ribeirinhos, pescadores, sertanejos e indígenas.
Manteve ou mantém colaborações em: Folha de S. Paulo, O Estado de São Paulo, revista Rolling Stone, Época, Planeta, GREENPEACE e GreenPeace Magazine, Globo Rural, Science Illustrated Magazine, revista FAPESP, SCIENTIFICAMERICAN, EDITION FATON (França) d’ARCHÉOLOGIE e Spektrum.de - Nature / Pour la Science, El PAÍS Brasil, entre outros. Fotografa para projetos em parceria com o LEEEH-USP (Instituto de Biociências - USP) e CAAF (UNIFESP).

É autor dos livros: “Amazônia Antiga – Arqueologia no entorno” (DBA/ 2009), “Futebol na Amazônia, Imagem e Alarido” (DBA 2012) e "Rufar dos Tambores, Imagens e Encontros Afroamapaenses" (SECULT 2014). Entre outras edições.

Exposições recentes: Co curador e fotógrafo em “Alaridos Jogo dos elementos” – SESC - SP (Amazônia Mundi / 2015).
“Espaço Brasil – Amazônia”, na COP-16, México (2010), e “Ancient from the mouth of the Amazon – Book and Exhibit project” (Denver Art Museum, 2011).

VEJA O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA EDIÇÃO

O Retrato em diversas linguagens
João da Silva

Anna Carolina Negri

Técnicas para fazer um bom retrato em situações adversas

7 Novembro - 10h

José de Oliveira

Karime Xavier

O Retrato na Folha de São Paulo - processo criativo no jornal diário


7 Novembro - 14h

João da Silva

Felipe Gombossy

A Luz de Estúdio para o Retrato



7 Novembro - 18h

João da Silva

Julio Bittencourt

A Trajetória na fotografia com o retrato como fio condutor


7 Novembro - 20h

João da Silva

Silvia Costanti

Retrato Corporativo - o Trabalho no jornal Valor Econômico


8 Novembro - 16h

João da Silva

Eduardo Girão

A Luz Natural no Retrato Comercial



8 Novembro - 18h

João da Silva

Pio Figueiroa

Entre o trabalho coletivo e o trabalho individual


8 Novembro - 20h

João da Silva

Marcelo Biscola

Dicas de tratamento de Retratos no Photoshop



9 Novembro - 10h

João da Silva

Pietro Trindade

Como funciona o processo da aparência do modelo antes da imagem - o personal beauty
9 Novembro - 14h

João da Silva

Ana Paula Paiva

Retrato e seu processo de criação



9 Novembro - 18h

João da Silva

Karen Jerzyk

A Fotógrafa Americana fala de grandes produções com pouco dinheiro e uma câmera

9 Novembro - 20h

João da Silva

Helena Wolfenson

O estudo da Fotografia; o Jornalismo e o Retrato na mídia

10 Novembro - 10h

José de Oliveira

Giorgia Volpe

Auto-Retratos Performáticos



10 Novembro - 14h

João da Silva

Zé Vicente

Pela Rua com Recortes - o Retrato do Retrato. Recompondo imagens recortadas na cidade

10 Novembro - 18h

João da Silva

Gal Oppido

A Luz e o corpo - O Nú e o Retrato Conceitual



10 Novembro - 20h

João da Silva

Joel Silva

O Retrato em Áreas de Conflito



11 Novembro - 10h

João da Silva

João Castellano

Encontre sua Voz na Fotografia



11 Novembro - 16h

João da Silva

Rogério Assis

A importancia do retrato na documentação de comunidades

11 Novembro - 18h

João da Silva

Paulo Fridman

Menos é Mais
O Estúdio em Locação



11 Novembro - 20h

João da Silva

Gustavo Lourenção

Como valorizar seu trabalho com retratos inusitados - o bizarro e o belo
12 Novembro - 10h

João da Silva

Adi Leite

Ensinamentos do Coaching para Fotógrafos e a influência de Richard Avedon
12 Novembro - 14h

João da Silva

Paulo Fehlauer

Análise do processo criativo de um ensaio de retratos dentro de um coletivo fotográfico

12 Novembro - 16h

João da Silva

Cadu Lemos e Ricardo Rojas

O retrato na Mobgraphia


12 Novembro - 18h

João da Silva

Paulo Klein

Aprendendo com as influências do retrato na pintura


12 Novembro - 20h

José de Oliveira

Eustáquio Neves

Como usar o experimentalismo no ensaio fotógrafico - O químico e o retrato no experimental.
13 Novembro - 10h

João da Silva

André Passos

Fotografia para Revistas de Moda



13 Novembro - 16h

João da Silva

Nicole Heiniger

O Retrato na Moda




13 Novembro - 18h

João da Silva

Gustavo Lacerda

O Retrato no Projeto de Autor



13 Novembro - 20h

QUERO ASSISTIR TODO O CONTEÚDO GRATUITO DO CONBRAF!

Quais Mudanças Posso Esperar em Minha Carreira

  • Aprender a fazer seus projetos acontecerem, lidando com a burocracia, linguagem, equipamentos e legislação referente. 
  • Descobrir Referências Valiosas e Aprender Como Buscar Suas Próprias Referências
  • Viver da Fotografia e Ter seus Trabalhos Publicados
  • Descobrir o que você realmente quer em sua vida profissional, ou iniciar este questionamento, e ter a coragem de dar o primeiro passo nesta direção
  • Analisar Caminhos para Áreas da Fotografia
  • Motivar-se com histórias que entrarão em sintonia com sua busca
  • Aprender técnicas e dicas para fazer um bom retrato na metade do tempo ou um ensaio profundo a longo prazo - nas artes, na documentação ou fotojornalismo. 
  • Ter Foco nos Trabalhos, Aprendendo a Pesquisar e Fechar uma Linguagem.
Mairo Vergara
Sobre o Idealizador Cláudio Belli é fotógrafo e jornalista há mais de 15 anos. Já publicou reportagens e ensaios em algumas das mais importantes revistas do Brasil. Trabalha há 8 anos no jornal Valor Econômico, onde desenvolveu ainda mais seu gosto pela linguagem fotográfica do retrato.

O LANÇAMENTO ESTÁ PRÓXIMO
Vagas Limitadas

36
Dias
22
Horas
54
Minutos
19
Segundos
ImagemAPOIO CULTURAL
O CONBRAF - Edição Documental acontece do dia 11 a 17 de Setembro com o objetivo de ensinar a você os caminhos para fazer seus projetos acontecerem. Transforme sua vida profissional e pessoal, viva da fotografia e tire idéias do papel, descobrindo o caminho a seguir e tendo a coragem de segui-lo. Parece muito bom para ser verdade, mas o sucesso deixa pistas. No Congresso Brasileiro de Fotografia você vai interagir com a mensagem de mais de 20 grandes fotógrafos que levam o documental para diversas áreas: moda, fotojornalismo, fotografia social, fotografia antropológica, fotografia de casamento, fotografia de esporte, fotografia de shows, fotoarqueologia, entre outros.

Quando percebi que minha vontade de tudo registrar com minha câmera era uma paixão, não tinha alguém para apontar direções de como alcançar meus objetivos. Passaram-se muitos anos de buscas, numa jornada imprevisível, até que a fotografia se tornou também minha profissão.
Quase uma década e muitos aprendizados depois, a 2ª Edição do Congresso Brasileiro de Fotografia surge para ser este espaço de motivação e direcionamento de profissionais da fotografia - um lugar que tanto me fez falta no começo de minha carreira. Quero que você saia deste cantinho, escondido e tímido, esperando pela oportunidade que sei que você merece - e crie sua própria jornada rumo a seus objetivos e sonhos. Sei que você conseguirá. Dê uma chance para seu sucesso.

Aqui você vai se juntar a muitos apaixonados por fotografia. Sabe, o mais importante é sabermos o que queremos nesta vida. E preste muita atenção nisso. Se você tiver este objetivo bem claro na sua cabeça, e mantiver isto fresco todos os dias, você certamente vai alcançar o que busca. No Congresso Brasileiro de Fotografia, CONBRAF, você terá acesso gratuito a valiosas palestras do dia 11 a 17 de Setembro. Inscreva-se e fique atento à programação e a sua caixa de emails. Você receberá avisos para evitar que você perca tantas mensagens poderosas que estes grandes profissionais deixaram para você.
Aproveite esta jornada, e não deixe de fotografar e consumir informações de qualidade. Tudo aquilo que você vê, assisti, ouve, toca, e pensa cria aquilo que você é. Força neste caminho e aproveite o conteúdo do CONBRAF.

Cláudio Belli
Anna Carolina Negri
7 de Novembro - 10h
Fotógrafa brasileira, jornalista de formação, trabalha desde 2005 como freelancer para agências de fotografia, revistas e jornais. Ela atualmente reside em São Paulo, Brasil. Já foi premiada no National Photography Saloon Pérsio Galembeck
1st Prize and honorable mention. Tem mestrado em fotografia documental pela School of Photography and Image Center - Madri, Espanha.
Exemplo de imagem
Karime Xavier
7 de Novembro - 14h
Formada em Publicidade&Propaganda no Paraná e em Jornalismo em São Paulo, Karime atua na área de impressos em jornais e revistas. Com passagem de 12 anos pelo jornal Folha de S. Paulo, Editora Três, Editora Globo e revista Carta Capital. Em Curitiba manteve um estúdio de fotografias publicitárias e tinha como clientes o Boticário, Governo do Paraná, Prefeitura de Curitiva, Frimeza Alimentos, Calçados Bottero entre outros.
Exemplo de imagem
Felipe Gombossy
7 de Novembro - 18h
Após graduar-se em Publicidade na ESPM-SP em 2000, Felipe Gombossy concluiu o curso de Formação em Fotografia pela mesma faculdade três anos depois, período em que também atuou como assistente de alguns fotógrafos. Em Padova por 7 meses, trabalhou como assistente de fotógrafo. De volta a São Paulo em 2004, direcionou sua carreira para fotos publicitárias e realizou trabalhos para agências como Leo Burnett, Rapp Collins, Tugare, BorghiErh, Artplan, Brave, G2 Grey e Salve. Abre novas portas e passa a fotografar também para grandes revistas brasileiras como VIP, Época SP, Playboy, Alfa e para outras customizadas como Revista Gol Linhas Aéreas, Mais, WRun, Spresso entre tantas outras. Nestes editoriais, especializou-se em retratos, gastronomia e turismo, e ainda realizou ensaios livres para temas como “Lixo”, “Faculdades” e “Feiras Livres”. Teve publicados também anúncios na revista alemã Archive e foi shortlist em Cannes.
Participou de exposições coletivas no Off Paraty em Foco e Galeria Ás, e outras individuais sempre mostrando seu olhar sobre lugares do Brasil. Algumas de suas fotos foram shortlist nas Bienais Brasileiras e foi premiado com o 3o Lugar da Bienal de Fotografia em Cores, em Londrina em 2011.
Exemplo de imagem
Júlio Bittencourt
7 de Novembro - 20h
Julio Bittencourt nasceu em 1980 no Brasil e cresceu entre São Paulo e Nova York. Seus projetos foram expostos em galerias e museus em todo o mundo e seu trabalho publicado em revistas como a GEO, Stern, TIME, Le Monde, The Wall Street Journal, C Foto, The Guardian, The New Yorker, Esquire, Francês Foto, Financial Times, Los Angeles Times, e Leica World Magazine, entre outras. Ele é o autor de dois livros: "Em uma janela de Prestes Maia 911 Building" e "Ramos".
Exemplo de imagem
Eduardo Girão
8 de Novembro - 18h
Nascido em São Paulo em 1962 .
Formado em Administração de Empresas pela FAAP, estudou no International Center of Photography e na Parson School of Design, ambos em NY.
Trabalhou com o fotógrafo americano Jonathan Becker e com o publicitário francês Jean-Paul Goude, em NY para revistas como Town & Country, Vanity Fair e Vogue.
Fotógrafo desde 85, trabalha para revistas de decoração, arquitetura, modo de vida, culinária no Brasil, como : Casa Vogue, Vogue, Casa Claudia, Arquitetura e Construção, Kaza, Daslu, Le Lis Blanch, Mitsubishi, Private Brokers, Izzo, Audi, Natura, Casa e Jardim, Gula, Bons Fluídos, TPM, Viver Bem, Iguatemi, Pão de Açúcar, entre outras, e matérias publicadas em diversas revistas européia e americanas, como WallPaper, Vogue França, Máxima Interiores, Elle Deco França, Elle China , Food Arts ( NY), ADM Acelerate Magazine, etc.
Executa trabalhos publicitários para várias agências no Brasil e Europa e atualmente fotografando produtores rurais ao redor do mundo para a BASF Alemanha .
Exemplo de imagem
Pio Figueiroa
8 de Novembro - 20h
Fotógrafo e diretor de cena, iniciou sua carreira no fotojornalismo, no Recife, cidade onde nasceu. Fundador do coletivo Cia de Foto (2003/2013), seus trabalhos integraram mostras importantes, como Ver do meio – Instituto Tomie Ohtake (São Paulo, 2015); Carnaval, no Wexner Center (Ohio, EUA, 2014); Marcha, no Masp (São Paulo, 2013); Agora, no Museu Berardo (Lisboa, 2012). Sua pesquisa se pauta por uma estratégia com um forte traço do repertório adquirido no fotojornalismo, mas que se expressa no campo da arte. Sua atuação nos últimos 10 anos, serviu de parâmetro para uma grande revisão que foi feita na fotografia brasileira. É editor da Revista Latino Americana de fotografia Sueño de la Razón (HYPERLINK: http://www.suenodelarazon.org), e editor do blog Icônica (HYPERLINK: http://www.iconica.com.br)
Exemplo de imagem
Marcelo Biscola
9 de Novembro - 10h
É especialista em tratamento de imagens e fundador da ArtNet Digital, que ao longo destes 15 anos vem se atualizando para oferecer o que há de mais moderno no mercado e assim, atender cada vez melhor seus clientes.
Agora conta com um setor de produção e apoio no Marketing Digital, desta forma oferece conteúdo educacional para de Vendas para os mais diversas áreas.
Desde 2000, a Artnet Digital oferece ao mercado arte e sensibilidade, aliados à equipamentos de ultima geração em uma estrutura que possibilita extrair ao máximo da tecnologia na produção de fusões, ilustrações e tratamento de imagens em alta definição.
Exemplo de imagem
Pietro Trindade
9 de Novembro - 14h
Pietro trindade, formado em Milão pela internacional Mod’sHair, tem uma imersão na Europa que foi um instrumento fundamental para a compreensão das ideias de moda e do processo criativo de Pietro.
Com um espírito inovador acredita na difusão da arte, moda e beleza como ferramentas poderosas que moldam o futuro do bem- estar em uma perspectiva de construção dos saberes como forma primordial da valorização do ser humano através da imagem e do estilo.
Como um verdadeiro visionário, homem de múltiplas habilidades, artista do cabelo, polivalente-professor, produtor, visagista, designer de cenário e apaixonado pela arquitetura e pela hotelaria boutique contemporânea.
Pietro estudou em Los Angeles, Dallas, NY, Paris, Hamburgo, Tel Aviv, Torino e ministrou aulas na academia em Ivrea na Italia, deu workshops já em muitas cidades e capitais do Brasil e da America latina.
Como poucos em seu tempo, faz dezenas de esboços, reflexões artísticas, coisas simples com um valor imensurável, um jovem reverenciado em seu setor por outros artistas e profissionais em destaque .
Desde criança foi prodígio, metódico, detalhista, ousado e diante desafios rodou o mundo em busca de pesquisas para a compreensão mais geral da beleza, formulando cada vez mais e inovando assim embriões de vários fundamentos da investigação técnica e conceitual da arte de embelezar.
Exemplo de imagem
Ana Paula Paiva
9 de Novembro - 18h
Graduada em Jornalismo pela Puc – MG em 1997, a fotógrafa brasiliense Ana Paula Paiva trabalha há dezoito anos para as principais editoras do país. Ao longo de sua trajetória já participou de exposições coletivas em São Paulo e Madrid. Ana Paula foi vencedora do "Troféu Mulher Imprensa" nos anos de 2005 e 2006. Em 2013, ganhou o Prêmio Comunique-se na categoria repórter de imagem. Atualmente vive em São Paulo e trabalha para o Jornal Valor Econômico desde 2008.

Exemplo de imagem
Karen Jerzyk
9 de Novembro - 8pm
Fotógrafa publicada internacionalmente e autodidata da área metropolitana de Boston, EUA. Após graduar-se em Inglês na Universidade de New Hampshire, em 2003, seus pais deram sua primeira primeira câmera digital para fotografar bandas. Fotografou milhares de bandas, concentrando-se em ambas as fotos ao vivo e promocionais (e, ocasionalmente, para capas de álbuns). Em 2009 começou a fotografar retratos de pessoas e, finalmente, decidiu concentrar o foco em modelos. Tem a marca de filmar cenas elaboradas em prédios abandonados. Atualmente viaja os EUA, fotografando pessoas para vários projetos.
Exemplo de imagem
Helena Wolfenson
10 de Novembro - 10h
Atualmente, vivo em São Paulo, Brasil, onde nasci.

Eu me identifico com a fotografia como minha ferramenta de estar neste mundo e comunicar com as pessoas. Minha câmera é a minha desculpa para fazer o que eu mais amo: viajar, aprender histórias, conhecer pessoas e gravar memórias.

Eu tento fazer a minha vida através de imagens (fotografia ou vídeo).
Exemplo de imagem
Giorgia Volpe
10 Novembro - 14h
Minha prática artística leva gestos e objetos do mundo doméstico e do cotidiano. Através do meu trabalho, eu estudo a relação do corpo com os arredores, explorando os pontos de passagem, especialmente entre o interior e o exterior, o individual e o coletivo, o privado e o público, o real e imaginário. Esta prática leva-me a experiências polimórficos (projetos, ações, instalações, vídeos, fotografias e desenhos) que incidem sobre o conceito de processo e de construção através da repetição, variação, acumulação. Para executar o meu trabalho, eu utilizo regularmente artesanato tradicional, como a tecelagem, bordados, tricô, cestaria, colchas, mapeamento, etc. Estas técnicas permitem-me a explorar diferentes conceitos de trabalho e processos, e criar formas variantes, fluido e envolvente.
Exemplo de imagem
Zé Vicente
10 de Novembro - 18h
Zé Vicente (1978) vive e trabalha em São Paulo. É bacharel em Artes Plásticas pela UNICAMP e possui mestrado em Poéticas Visuais pela UFRGS.

A apropriação de imagens e sua reutilização em diferentes escalas e contextos é o fio condutor de sua produção. Em seu trabalho de rua, misturando colagem, fotografia e intervenção urbana, Zé Vicente caminha pela cidade com recortes de revistas procurando lugares para encaixá-los e fotografá-los.

Em 2013, participou de duas exposições internacionais, a coletiva “Utrópica”, em Poznan, Polônia, com Regina Silveira, Guto Lacaz, Juliana Kase, Alice Shintani e Eduardo Verderame, e “Vi Teu Nome Num Peixe” na galeria Pony Royal, em Berlim, ambas em parceria com e Manuela Eichner. Em 2014, deu início à série “Pela Rua com Recortes”, que virou fotolivro, participando da Feira Plana, no MIS, em 2015, e uma individual na Zipper Galeria, com curadoria de Cauê Alves. Em 2016, seu trabalho de colagem foi resenhado pela editora Gestalten, publicado no zine Cults of Life, organizado pelo finlandês Niko Vartiainen, e exposto na Noruega, no Scandinavian Museum of Contemporary Collage.
Exemplo de imagem
Gal Oppido
10 de Novembro - 20h
Diante destas fotografias o que se trava é um campo triangular de batalha entre o fotógrafo, o modelo e todos nós. Ali instaura-se o contrabando de um olhar bumerangue que assina co-autorias. Somos cúmplices e testemunhas de corpos que pedem para ser um corpo, que podem ser um corpo que pede.

São imagens que desejam, exigem de nós a busca de algum lugar de onde possamos vê-las. Estamos diante de espelhos que refletem composições fotográficas, desenhando territórios minuciosamente construídos: o corpo é espaço modelável, a pele é topografia dos desejos.

Das fotografias de Gal Oppido exalam atitudes teatrais, que regem, com maestria construtiva, imagens de corpos que parecem não caber dentro das peles, contornando as zonas rarefeitas de nosso ser.

Entre o olho-diretor do fotógrafo que traça imagens de um corpo coletivo e os fragmentos de corpos singularizados pela marca que diferencia; entre o corpo de cada sujeito que modela sua intimidade vertiginosamente pública e a exposição compartilhada dos humores anônimos: é nesta zona difusa que possibilidades de corpos pedem para ser, em suas substâncias, pura exterioridade.

Gal Oppido captura corpos híbridos que posam para nossos imaginários. São procedimentos que lembram, de relance, os pintores de natureza morta que escolhem objetos extraídos de seu contexto habitual, compondo-os de modo articulado e configurando o motivo da imagem pictórica. A natureza morta dos corpos ainda vivos/still life de Gal Oppido emprestam uma tonalidade pictórica às fotografias aqui expostas, em cujo motivo tão prontamente nos reconhecemos – os nossos corpos, sempre os mesmos e sempre os outros - incitando uma turbulência perceptiva.
O fluxo do olhar que vai tateando as imagens, que vai esculpindo os corpos que emergem dos escuros, que vai modulando os objetos de prata na pele banhada de luz, registra um arco teso entre o desejo de aproximação e a repulsa, entre o toque e a recusa.

Edith Derdyk
Exemplo de imagem
Joel Silva
11 de Novembro - 10h
Formado em fotografia pela escola de artes Bauhaus em 1994, no mesmo ano, iniciou-se como fotojornalista no Jornal Folha de S. Paulo, na redação da Folha Ribeirão em Ribeirão Preto.
Em 1996, foi para o extinto jornal Notícias Populares, do Grupo Folha e em 2001, retornou para a redação da Folha de S.Paulo, onde atualmente colabora.

Cobriu as copas do Mundo de futebol de 1998 na França, 2010 na África do Sul e 2014 no Brasil.

Cobriu a revolta da primavera Árabe na Líbia, o massacre que vitimou mais de 800 pessoas no Cairo Egito, onde foi atingido de raspão na cabeça, por um tiro.
Esteve no Golpe Militar em Honduras na América Central, acampou com os guerrilheiros das Farc, ( Forças Armadas Revolucionarias da Colômbia), cobriu a ocupação do exercito no Morro do Alemão, no Rio de Janiero e foi correspondente fotográfico da Folha, no Oriente Médio.

Seus trabalhos na cobertura da Primavera Árabe, foram publicados nos principais jornais do mundo, como The New York Times, Washington Post, Le Monde, El País, The Independent e nas revistas Time e Life.

Ganhou 5 prêmios de direitos Humanos, o Every Human Has Rights, concedido pela ONU, em comemoração do 60 anos dos direitos Humanos, Wladmir Herzog, Anamatra, Amb e Dom Helder.
Exemplo de imagem
João Castellano
11 de Novembro - 16h
João Castellano nasceu como João Paulo no início dos anos 80. João não veio de uma família de artistas. Ele nunca teve como objetivo ser um fotógrafo profissional, seu sonho de infância era se tornar um jogador de futebol profissional. Depois de desistir desse objetivo, ele decidiu ser um fotógrafo de futebol. Mas ele percebeu que, a fim de se tornar um fotógrafo de futebol, ele precisava primeiro se tornar um fotógrafo. Desde 2010 João trabalha como fotógrafo na Istoé, uma das maiores revistas de notícias do Brasil. Hoje em dia, João divide seu tempo entre projetos pessoais e jobs para a revista. João colaborou com algumas publicações internacionais como Reuters e El País.
Exemplo de imagem
Rogério Assis
11 de Novembro - 18h
Rogério Assis nasceu no Pará em 1965. Iniciou sua vida profissional documentando tribos indígenas para o Museu Emílio Goeldi em Belém-PA. Trabalhou como fotógrafo diversas publicações no Brasil e no exterior. Na Folha de S. Paulo, foi editor de matérias especiais e fotógrafo correspondente em Nova York, onde foi bolsista no laboratório de mídia digital do ICP (International Center of Photography). Foi editor de fotografia para a América Latina da Starmedia Network. Ao longo de sua carreira, participou de exposições em diversos países, como Brasil, Estados Unidos, Cuba e Alemanha.
Exemplo de imagem
Paulo Fridman
11 de Novembro - 20h
Nasceu em São Paulo e é um dos fotógrafos brasileiros mais publicados e requisitados no exterior. Forma-se em engenharia pela Universidade Mackenzie, em São Paulo, em 1977, antes de se decidir pela fotografia. Morou em Nova Iorque por seis anos, estudando no International Center of Photography, RIT, School of Visual Arts. Desde então fotografou mais de 350 capas de revistas como Time, The New York Times, Newsweek , Forbes. Colabora para Time USA , Newsweek , NY Times, Stern (Alemanha), Paris Match (França) e centenas de outras publicações. Atua na fotografia publicitária e corporativa onde acumula vários prêmios. Fez várias exposições no Brasil e no exterior (The Photographers Gallery - Londres , MASP - São Paulo, Pinacoteca - São Paulo, Museu da Fotografia em Curitiba, Exit Art in SOHO, New York). Diversos Museus e Centros Culturais mantém seus trabalhos no acervo permanente e em coleções temáticas (Instituto Cultural ITAU , Coleção Pirelli Masp, Museu da Fotografia / Fundação Cultural de Curitiba, MAM / Museu de Arte Moderna , São Paulo, Library of Congress - Prints and Photographs Division, USA). Prêmios Recentes : JP Morgan, Adobe Digital Contest, USA.
Exemplo de imagem
Gustavo Lourenção
12 de Novembro - 10h
Em vinte anos de fotografia, publicou fotos em diversas revistas como RG Vogue, Vip, Carta Capital, Bons Fluídos, Quem Acontece, Época, Revista da Folha, etc, e jornais como A Folha de São Paulo e Valor Econômico. Sua principal especialidade na imprensa é fazer retratos de personalidades. Também desenvolve trabalhos autorais. Em 1997, recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Funarte, pelo trabalho documental sobre as Escolas Públicas de São Paulo. Participou também da mostra Rumos Visuais do Instituto Cultural Itaú, em 2000, com ensaio sobre transeuntes do centro de São Paulo, entitulado “Janelas”. Participou da Mostra do Prêmio Porto Seguro de Fotografia em 2007.
Exemplo de imagem
Adi Leite
12 de Novembro - 14h
Nos últimos 30 anos, dedicou-se a carreira de fotógrafo. Jornalista de formação, trabalhou nos principais veículos de mídia impressa do país como repórter fotográfico e editor de fotografia. Foi também um dos criadores do primeiro portal de fotografia da internet brasileira, o extinto fotosite, e teve trabalhos expostos na Alemanha, Brasil, Equador, Holanda e Portugal. Lecionou fotografia, fotojornalismo e linguagem fotográfica nas Universidades Anhembi-Morumbi e Metodista. Desde o início de 2015 exerce a atividade de Coach.
Exemplo de imagem
Paulo Fehlauer
12 de Novembro - 16h
Fotografo, escritor e artista visual. Graduado pela ECA-USP, foi reporter fotográfico do jornal Folha de S. Paulo. Trabalhou no International Center of Photography e no National Geographic Photocamp, ambos em Nova York. Em 2009, participou da fundação da Casa da Cultura Digital. Atualmente, cursa especializacão em Formação de Escritores no Instituto Vera Cruz, em São Paulo.
Co-fundador do coletivo Garapa, que é, ao mesmo tempo, uma empresa de produção audiovisual e um duo de artistas visuais. Naturalmente, os dois caminhos se retroalimentam: produzindo filmes com olhar de artistas e arte com o pensamento crítico e humanista do cinema. Buscam carregar essa influência mútua para todos os projetos que fazem, sejam eles institucionais, comerciais ou independentes.

Estão na ativa desde 2008 e já realizaram uma série de projetos que incluem filmes institucionais, editoriais e publicitários, conteúdo para TV, web e cinema, instalações multimídia, ensaios e reportagens fotográficas para livros e revistas, exposições e livros, entre outros
Exemplo de imagem
Cadu Lemos e Ricardo Rojas
12 de Novembro - 18h
Atentos ao crescimento exponencial do uso de celulares e outros aparelhos móveis, os premiados fotógrafos Cadu Lemos e Ricardo Rojas chegaram ao conceito Mobgraphia. Nesta palestra que compartilham no Congresso Brasileiro de Fotografia, eles vão contar sobre o Retrato com smartphones e outros aparelhos - nada mais atual.

MOBGRAPHIA é um movimento que estimula a arte fotográfica e visual produzida (captada, editada e compartilhada) em plataformas móveis. Celulares, tablets, não importa. Tudo é arte e movimento.

mObgraphia: é uma marca criada para desenvolver e promover a mobgrafia e através dessa linguagem estabelecer uma conexão próxima e engajadora com uma ampla audiência em diferentes frentes de atuação.


Exemplo de imagem
Eustáquio Neves
13 de Novembro - 10h
É um fotógrafo e videoartista autodidata nascido em Juatuba, Minas Gerais, graduado em química pela Escola Politécnica de Minas Gerais, em 1980. Vive atualmente em Diamantina/MG, Brasil.

A partir de 1989, começou a pesquisar e desenvolver técnicas alternativas e multidisciplinares, manipulando negativos e cópias. Desde 2006 tem pesquisado as mídias eletrônicas incluindo a sequência e o movimento. Entre outras linhas de interesse aborda temáticas relativas à identidade e a memória da cultura afrodescendente com trabalhos de corte social e crítico.

Seu trabalho vem sendo amplamente divulgado em várias mostras no Brasil, exterior e tem recebido prêmios e a consagração do público e da crítica.

Recebeu o VII Prêmio Marc Ferrez de Fotografias da Funarte, RJ (1994); Prêmio Nacional de Fotografia, Funarte (1997); Grande Prêmio J. P. Morgan de Fotografia (1999)
Exemplo de imagem
André Passos
13 de Novembro - 16h
Formado em fine art photography na sir john cass faculty of arts and design em londres ,
trabalhou como assistente do fotografo brasileiro Bob Wolfenson e do americano Carter Smith.
Tornou-se fotografo de moda em nova iorque onde morou por 8 anos e fotografou para W magazine,
Nylon, French jalouse ,Harper's Bazaar entre outras.
Atualmente mora em São Paulo onde colabora para Vogue , Elle, l'officiel entre outras além de ja ter
realizado campanhas das maiores marcas nacionais.
Exemplo de imagem
Nicole Heiniger
13 de Novembro - 18h
Importante fotógrafa de Moda brasileira, já fez trabalhos para as principais revistas da área e publicidade para grandes marcas.
Exemplo de imagem
Gustavo Lacerda
13 de Novembro - 20h
Nasceu em Belo Horizonte, formou-se em Jornalismo na UFMG e desde 2000 vive em São Paulo.
Começou a fotografar nos anos 90, como repórter fotográfico, depois migrou para a fotografia publicitária, mas, paralelamente, sempre desenvolveu seus projetos autorais.
Ao longo da carreira recebeu diversos prêmios, como o Conrado Wessel de Arte por 4 vezes (2011, 2007, 2006 e 2005), o Premio Porto Seguro de Fotografia (2010) e o Leão de Prata no Festival Internacional de Publicidade de Cannes (2010).
Lacerda tem obras no acervo da Coleção Pirelli/MASP e, desde 2013, é representado também nos EUA pela galeria Catherine Edelman (Chicago).
Nos últimos anos participou de diversos festivais e bienais de fotografia, tendo suas obras expostas em diversos países, como França, Alemanha, Bélgica, Espanha, Estados Unidos, Korea, Angola, Uzbequistão e Cingapura. Em 2014, seu livro Albinos, foi lançado na Paris Photo.
Exemplo de imagem
ImagemAPOIO CULTURAL